Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Quem conta dois contos

Quem conta dois contos

14
Out18

2020

arp

Era o ano de 2020. O clima andava agreste, chuvas diluvianas e verões tórridos levaram o lobo mau à loucura. Isso e o facto de o aumento despropositado do IMI ter levado os três porquinhos a abandonar as suas casas. Faliram. O bloco assim se chamava o partido dominador criara um imposto sobre as casas dos porquinhos e dos camelos. Estes não aguentarem e foram viver para longe. Para o deserto para ser mais concreto. Os camelos e o porquinho prático que os seus irmãos recebiam o rendimento mínimo enquanto foram obrigados a fazer cursos no instituto de preparação do porco.

Assim foi decidido que a melhor coisa a fazer era uma lobotomia, coisa que foi feita ao lobo mau.

Não foi aliás a única coisa que aconteceu. O PAN (Partido Anti Nada) propôs e foi aceite, que as histórias moralizadoras tendessem a acabar. De igual modo foi lançado uma norma proibindo as fábulas por humanizar os animais quando o que se pretendia era exactamente o contrário. Os livros de La Fontaine foram queimados numa pira pública.

Era chegado o tempo de se passar á clandestinidade.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Favoritos

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub